Mpanda, da lama ao 1º óleo

Diversidade – sem dúvida uma mais-valia. Mpanda, com pouco mais de 30 anos, química de formação, engenheira de fluidos de profissão, gere cerca de 5 pessoas, de 3 empresas prestadoras de serviços, já trabalhou em 3 projectos, em 6 plataformas de perfuração.

Da química para engenharia de cimentação e hoje especialista em fluidos

Após inscrição com sucesso no site da Total Careers, Mpanda passou por rigorosos testes de aptidão e entrevistas de admissão.

Licenciada em Engenharia Química pela Universidade de Joanesburgo, na África do Sul, os seus conhecimentos académicos contribuíram muito para uma integração rápida e fácil. Em Setembro de 2010 começou na Total E&P Angola como Engenheira de Fluidos e Cimentação no Bloco 17. Para desempenhar novas funções e ultrapassar os novos desafios propostos pela Total frequentou formações especializadas na área dos petróleos proporcionadas pela empresa. Pós formação, Mpanda abraçou o desafio de fazer o mesmo trabalho mas tendo a seu cargo a gestão de cerca de 5 pessoas.

Hoje, após 4 anos de experiência, a jovem profissional conhece bem quer a área de exploração, quer de desenvolvimento de petróleos.

Solidariedade: o compromisso obrigatório

Segundo Mpanda … “Só é possível alcançar os objectivos propostos quando a equipa é unida e solidária".

Desde o início do projecto até ao seu arranque, são inúmeras as tarefas, acções, processos e detalhes a seguir. Conhecimentos, profissões, tarefas são o resultado do contributo de um número considerável de pessoas, cada uma delas com o seu papel. Cada acção é igualmente importante para o objectivo final. É obrigatório que entre as pessoas da equipa haja sincronização, entendimento, rigor e respeito pelo trabalho do próximo. Para realizar o seu trabalho Mpanda depende dos programas de perfuração enviados de onshore, do feedback do Superintendente de Fluidos e dos relatos do Departamento de Perfuração. Só após juntar e analisar o trabalho de todos ela pode decidir o que fazer e como executar.

A solidariedade e o respeito são determinantes neste sector de actividade.

De bloco em bloco, poço a poço

Trabalhar na Total dá a oportunidade de conhecer uma série de realidades distintas. Entre o onshore e o offshore, do Bloco 17 ao 32, do Dália ao Kaombo, Mpanda conheceu e trabalhou com pessoas de idades, géneros, nacionalidades, hábitos, convicções, personalidades, conhecimentos e experiências muito diferentes. Esta é para si a grande mais-valia de trabalhar neste sector.

Segundo ela seja qual for a profissão, as relações entre pessoas enriquecem qualquer curriculum. A vida em offshore é desafiante: “o meu local de trabalho é a sonda DS1, chego ao trabalho de helicóptero ou de surfer, trabalho das 06h00 às 18h00, em ciclos de 28 dias e uso uma farda especial”.

Mpanda eng fluidos

"Seja qual for a profissão, as relações entre pessoas enriquecem qualquer Curriculum."

Breve Currículo

  • 2010 – até à data

    Supervisora de fluidos Total E&P Angola

  • 2009 – 2010

    Engenharia de Cimentação pela empresa Schlumberger

  • 2004 – 2008

    Engenharia química pela universidade de Joanesburgo, na África do Sul

Partilhe esta história

Outras pessoas comprometidas com uma melhor energia