Uma parceria gigante para um complexo petroquímico e de refinação integrado eficiente

Não muito longe do porto de Jubail, no deserto saudita, dois gigantes da indústria petrolífera construíram uma das refinarias mais eficientes do mundo. Unindo as suas competências numa joint-venture, a Total e a Saudi Aramco empreenderam um projecto colossal. O complexo SATORP (Saudi Aramco Total Refining and Petrochemical Company) empregará 85% de mão-de-obra saudita (actual objectivo para 2015 é de 65%). Para cumprir inteiramente o seu compromisso, a Total lançou um projecto de formação ambicioso.

  • CENTRAL PROOF SATORP 1 PT_AO

    Pronto e a funcionar.
    Após 6 anos de trabalhos de construção, a refinaria SATORP encontra-se em pleno funcionamento desde Junho de 2015. As equipas estão a postos e a trabalhar para colocar a refinaria a funcionar de forma optimizada e em segurança.

  • CENTRAL PROOF SATORP 2 PT_AO

    Uma das dez refinarias mais eficientes do mundo.
    Fruto de uma joint-venture entre a Total e a Saudi Aramco, a refinaria SATORP foi projectada para processar os mais difíceis tipos de petróleo.

  • CENTRAL PROOF SATORP 3 PT_AO

    400 000 barris por dia.
    Este é o aspecto da refinação, um enorme complexo localizado na costa leste do Reino da Arábia Saudita.

  • CENTRAL PROOF SATORP 4 PT_AO

    A poucos quilómetros da cidade industrial de Jubail.
    Ao entardecer, as luzes da refinaria localizada perto da cidade de Jubail e da sua zona portuária acendem-se pouco a pouco.

  • CENTRAL PROOF SATORP 5 PT_AO

    A SATORP nunca dorme.
    A actividade da refinaria nunca pára.

  • CENTRAL PROOF SATORP 6 PT_AO

    Uma proeza técnica.
    Na construção desta refinaria altamente eficiente terão trabalhado 45 000 pessoas.

  • CENTRAL PROOF SATORP 7 PT_AO

    O compromisso da Total na criação de emprego.
    Expandir o emprego local é o principal objectivo do projecto. Eventualmente, 85% dos 1 100 trabalhadores serão de nacionalidade saudita.

  • CENTRAL PROOF SATORP 8 PT_AO

    Transmissão de competências.
    Entre 2010 e 2012, 28 jovens engenheiros sauditas concluíram os seus programas de formação em França, graças a uma parceria com o IFP Énergies Nouvelles (IFPEN).

  • CENTRAL PROOF SATORP 9 PT_AO

    Formação.
    Entre 2011 e 2012, os técnicos do IFPEN supervisionaram 400 jovens aprendizes sauditas.

  • CENTRAL PROOF SATORP 10 PT_AO

    Colaboração e parceria.
    São estes os valores sob os quais a SATORP foi construída e põe em prática.

Seguinte Prev
  • CENTRAL PROOF SATORP 1 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 2 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 3 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 4 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 5 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 6 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 7 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 8 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 9 PT_AO
  • CENTRAL PROOF SATORP 10 PT_AO

Colaboração e proezas técnicas no deserto

Nove anos depois da assinatura dos primeiros contratos e apenas seis anos após o início da sua construção, a refinaria SATORP encontra-se em pleno funcionamento desde meados de 2014. Concebida para refinar um petróleo bruto extremamente difícil de processar, é uma das dez mais eficientes do mundo. O seu sucesso resulta de uma parceria entre as duas maiores empresas petrolíferas do mundo, a Total e a Saudi Aramco.

O desafio de uma colaboração a todos os níveis

Para coordenar o projecto, os dois parceiros uniram as suas competências e trabalharam em conjunto a todos os níveis. Foi necessário preparar o local e as infra-estruturas, construir as diferentes unidades em estaleiros de todo o mundo, e proceder à respectiva montagem e instalação no local. Para a execução de todo o projecto, foi necessária a intervenção de sete empresas internacionais de engenharia, inúmeras empresas sauditas, cerca de 45 000 pessoas e 370 milhões de horas de trabalho.

Formação, um enfoque central

Desde que está em pleno funcionamento, a refinaria dá emprego a cerca de 1 100 pessoas. A SATORP comprometeu-se contratar 85% de mão-de-obra saudita. Para atingir esse objectivo, assinámos um contrato de parceria com um importante centro público francês de investigação, inovação e formação, denominado Institut Français du Pétrole Énergies Nouvelles, ou IFPEN. Enquanto 28 jovens engenheiros sauditas concluíam o seu programa de estudos em França, entre 2010 e 2012, cerca de 400 operadores sauditas já tinham recebido formação no local. Os jovens aprendizes beneficiaram do know-how dos peritos do IFPEN e realizaram diversos estágios nas instalações da Saudi Aramco e da Total. Foi criado um Programa de Qualificação de Emprego desde o lançamento da SATORP e 150 colaboradores tiveram formação (operadores no terreno, operadores principais, supervisores de turnos e etc. ...).

Ter equipas de diferentes culturas a trabalhar em conjunto e a participar na promoção de um crescimento sustentável nos países anfitriões é também uma forma de produzir melhor energia.

Partilhe este projecto